Livro: Como nos tornamos pesquisadores:

Por Mislene Gomes

Professores Jaqueline Araújo Civardi, José Pedro Machado Ribeiro, Marcos Antônio Gonçalves Júnior, Maria Bethânia Sardeiro dos Santos, Maria de Fátima Teixeira Barreto, Regina da Silva Pina Neves, Rogério Ferreira e Wellington Lima Cedro são os autores da coletânea.

livro como nos tornamos pesquisadores?

Os interessados pelo livro poderão adquiri-lo pelo sítio eletrônico:

Editora CRV

Sinopse

 “Fico grato e feliz pela oportunidade de apreciar o presente livro. Ao me deparar com o mesmo me senti motivado a refletir sobre o título: Como nos tornamos pesquisadores? Antes de nos tornarmos pesquisadores, pensamos que a pesquisa acontece de forma linear e pontual - problemas, objetivos, métodos, dados, análises, resultados e conclusões. No entanto, esse processo é permeado por angústias, limitações, dúvidas, inseguranças, mudanças de paradigmas que a pesquisa nos propicia no decorrer da caminhada. Reconhecer estes componentes como intrínsecos à pesquisa, é aprender com o novo que ora é construído e ora se constrói, em uma trama de significados que o fazem ser significantes pela reflexão, pela interpretação, pelo olhar inquietante do pesquisador. É esse movimento, de construir, reconstruir e intervir que se constitui a atividade investigadora. Como convite ao caro leitor desse trabalho deixo as palavras do poeta Fernando Pessoa porque parecem oportunas ao iniciante na pesquisa, em especial, em Educação Matemática: “Pedras no caminho! Guardo todas. Um dia vou fazer um castelo”.”

Roberto Barcelos Souza

Professor colaborador no Programa de Pós-graduação Stricto Sensu Educação em Ciências e Matemática UFG.

 “Angústia, dúvidas, desafios, conflitos, inquietações. Estes são termos que dificilmente serão encontrados em um livro sobre metodologia da pesquisa científica habitual, mas no entanto representam perfeitamente o ofício do pesquisador, seja ele iniciante ou experiente. É justamente essa faceta humana que este livro vem contemplar, aproximando a entidade que conhecemos por “pesquisador” daqueles que estão entrando no campo da pesquisa acadêmica, sejam graduandos ou pós-graduandos. Neste diálogo, nós, pesquisadores que iniciamos a nossa caminhada, tomamos conhecimento que não estamos sozinhos nos percalços da pesquisa, que o pesquisador não nasce pesquisador, mas assim se faz ao longo de seu ofício, que afinal, descobrimos, é feito a partir de imperfeições.”

Rafaela Silva Rabelo

Professora Colaboradora da Faculdade de Educação da USP.